Como emoções afetam a aprendizagem

A linguagem pode ser definida como uma ação que tem o objetivo de externalizar sentidos, por tanto tem a função de representar sentimentos, ideias e todo o que se passar na mente de cada pessoa. Toda ação – fala, escrita, gestos… – que vem para realizar essas representações, é produzida com muitos afetos/sentimentos que atribuem sentidos singulares àquele que recebe a informação.

Por que a emoção tem essa influencia?

Heart disease and brain health: Looking at the links - Harvard Health

A informação é transmitida, recebida e internalizada de acordo com a transferência que ocorreu, provocando emoções que são diretamente relacionadas com a informação recebida. Por causa disso, cada vez que o sujeito lembrar ou vivenciar algo semelhante a informações recebida, seus afetos de quando recebeu a informação serão ativados.

 As emoções são adaptáveis, pois orientam comportamentos para experiências positivas e negativas, também fornecem informações sobre os estímulos exteriores e interiores do organismo. Para as necessidades, motivações e interesses, as emoções fornecem dados fundamentais para satisfazer seus objetivos.

No momento em que as pessoas procuram atividades e ocupações que as fazem se sentir bem, as emoções se tornam uma fonte essencial para a aprendizagem. Sendo assim, as emoções fazem parte da evolução humana, constituindo parte fundamental da aprendizagem e as interações sociais, pois abrangem os aspectos positivos e negativos, conscientes e inconscientes que podem consistir a outras expressões – como a afetividade, a inteligência interpessoal, a inteligência emocional, a cognição social, a motivação, a cognação, o temperamento e a personalidade do indivíduo.

A cognição e as emoções são interdependentes e, juntas, desenvolvem um papel adaptativo totalmente relevante. As duas são conectadas em um nível neurofuncional. Se uma não funcionar, a outra é afetada. Sem esta união fica impossível aprender as informações mais básicas, como ler e escrever ou tocar um instrumento. A depressão infantil pode estar associada a dificuldade de aprendizagem.

Amorosidade para aprender

Devido a esta atuação, as emoções podem facilitar o aprendizado ou dificultá-lo.  Os professores mais amigáveis conseguem influenciar os alunos a tirarem notas melhores, pois fazem das aulas boas lembranças Isso explica também o fato de haver facilidade em lembrar da letras de certas músicas. 

No ambiente escolar, crianças que sofrem violência doméstica internalizam o tratamento recebido em casa e passam a agir somente por meio desta percepção. Barreiras se formam no processo de aprendizagem e transferem seus afetos para o restante de turma. Assim, suas emoções como o medo, a raiva e a culpa afetam diretamente a aprendizagem de um modo negativo.

 O processo de socialização, característico da aprendizagem, tem mais chances de se desenvolver quando há a sensação de amor. Uma relação de aprendizagem em um espaço de amorosidade tem uma abertura muito grande para um vínculo de aceitação e acolhimento do outro.

O amor não é uma consequência social, mas um fundamento das interações e dos fenômenos sociais, por isso ele afeta todas as áreas da vida. A aprendizagem de uma vida na solidariedade, na cooperação e no acolhimento só será possível se tiver como propósito um diálogo em uma linguagem de amorosidade.

De acordo com as neurociências, a memória esta relacionada com as emoções. Sendo assim, lembranças que nos provocaram boas emoções são mantidas na memória e lembranças desagradáveis são descartadas. As áreas encefálicas responsáveis pelo controle motivacional, cognição e memória fazem conexões e se afetam.