Autoempatia: coragem para dizer NÃO

Algumas pessoas sentem uma necessidade de concordar com os outros sempre. Provavelmente, porque foram educadas a nunca dizer não aos pais e aos “mais velhos” que eram a maioria das pessoas, no início da sua vida. Esse hábito permaneceu e agora causa sofrimento, como se livrar dele?

Como tudo isso começou?

Pastoral da Criança - Dicas de como falar não para as crianças

É comum e saudável que os filhos aprendam a respeitar o pais, os mais velhos e todas as outras pessoas, isso os ensina a viver em sociedade e a lidar com frustrações. O problema é quando esse “respeito” anula todas as vontades das crianças e lhes tira o direito de defender as suas necessidades e desejos.

Algumas crianças são convencidas que as pessoas são irão gostar delas se foram “boazinhas”. Elas acreditam que só terão amigos se fizerem tudo o que as outras pessoas querem, caso contrário, ficarão solitárias. Com essa crença, tornam-se inseguras e infelizes, pois nunca conseguem expôr o que realmente querem.

Uma educação rígida pode oprimir o desenvolvimento de autonomia emocional e social. Por isso, é importante ter equilíbrio no momento de ensinar sobre relacionamento social, para que se aprenda a respeitar o outro e a si mesmo, informando o que deseja sem agredir ninguém de nenhuma forma, ou seja, sendo assertivo.

Saiba se você é assim

Insegurança Emocional | Psicólogo em São Paulo

Aceitar tudo o que os outros querem e depois ficar pensando nisso se sentindo culpado é comum nesses casos, pois ninguém fica em paz quando age contra as suas próprias convicções. Para evitar ir contra si mesmo e também contra o outro, as pessoas costumam ficar em silêncio, não tomar partido de nada, principalmente quando querem dizer NÃO.

Quem não gosta de dizer NÃO, geralmente fala “pode ser”, “tanto faz” ou “talvez”, temendo ser desrespeitoso ou mal-entendido. Algumas pessoas dizem NÃO, mas inventam mentiras para justificá-lo, por medo de rejeição. É importante olhar para a própria vida e tentar ver quais escolhas foram realmente tuas e quanta satisfação há em todas elas.

Como mudar isso?

The Real Costs of saying "No" - Brian Howard

É possível dizer não sem ser indelicado, mas também é preciso entender que, algumas vezes, esse não será o caso e algumas pessoas irão se frustrar, mas está tudo bem. Quando temer frustrar alguém que ama, lembre-se que também ama a si mesmo e tua satisfação importa.

Sempre diga a verdade, o que teu NÃO seja honesto e claro. Isso evita culpa e as pessoas entenderão os teus reais motivos. Entenda que as pessoas só irão acreditar em você e te respeitar se você fizer isso primeiro.

Cuide da sua autoestima! Faça atividade física, se alimente bem, tenha um hobbie, se vista como gosta… tudo isso irá fazer você se sentir melhor consigo e se aceitar. Quando uma pessoa se aceita, pouco importa quem a rejeita.

Entenda que se a outra pessoa fica magoada com o teu NÃO, é tarefa dela lidar com isso, não sua. A frustração existe para todos, não é nossa responsabilidade impedir que as outras pessoas tenham seus sofrimentos – sejam grandes ou pequenos. Você pode conversar com a outra pessoa e explicar teus motivos, mas não abra mão de si mesmo por pena de alguém, só faça isso se realmente concordar com a outra opinião.

Algumas vezes, é justo fazer a vontade de outra pessoa para agradá-la, mas isso não deve te prejudicar nem causar culpa. Você pode assistir um filme que a outra pessoa quer ou fazer a comida preferida dela, por exemplo. Desde que não deixe de assistir os filmes que gosta e de comer o que tem vontade em outros momentos. Ensine a outra pessoa a te agradar também, para que o autocuidado não se torne egoismo – saiba a diferença neste link.