Será que estou boicotando meu relacionamento?

Algumas pessoas realmente ficam boicotando o próprio relacionamento, especialmente quando é um bom relacionamento. Isso acontece porque algumas crenças as fazem acreditar que um relacionamento saudável de verdade não é possível, seja por não confiar nas pessoas ou por não acreditar que poderá ser amada e valorizada de verdade.

O boicote pode acontecer de diversas formas, desde brigas impulsivas até pensamentos de insegurança. A pessoa que o faz ainda sofre com seus medos e traumas simbólicos mal resolvido. Algumas pessoas pensam que quem boicota o relacionamento não o quer, mas é exatamente o oposto: a pessoa quer tanto o relacionamento, que o medo de se entregar e ser ferida a faz tropeçar. Veja o que pode causar esse comportamento.

Medo do futuro

Neste caso, há uma insegurança em relação à personalidade ou caráter do outro. A pessoa não sente confiança de que o relacionamento se manterá bom no futuro, esperando que algo negativo do parceiro se revele e mostre que ele não vale a pena. Assim, cria situações que podem irritar ou prejudicar a outra pessoa para ver como ela se revela.

Exemplo negativo familiar

Algumas pessoas vieram de famílias onde os pais viviam um relacionamento disfuncional, elas estavam assistindo brigas, ironias e agressões de diversas formas e aprenderam que os relacionamentos causam ansiedade, tristeza e outros sofrimentos. Assim, entendem que todo relacionamento se torna ruim em algum momento podem vê-los como prisões emocionais. 

Por isso, mesmo que queiram muito viver um bom relacionamento e estejam apaixonadas, ainda se sentem sufocadas ou oprimidas de alguma forma. Qualquer pequeno motivo ou ação do parceiro poderá ser interpretada como uma agressão, ainda que não seja. Desta forma, brigas vão sendo construídas e o relacionamento, acaba se tornando exatamente o que a pessoa temia que se tornasse.

Memórias emocionais

Algumas memórias de situações dolorosas que vivemos pode vir à tona com alguns comportamentos do outro. Seja por uma questão familiar, como foi explicado no tópico acima, ou por um passado doloroso. Uma pessoa que já foi traída via internet, pode sentir palpitações cada vez que o celular do seu atual companheiro emitir algum som, pensando que poderá ser uma amante. O som do celular é o gatilho que desperta essa memória.

Por causa disso, a pessoa pode ficar controlando o celular do companheiro, sempre desconfiada e, até mesmo, acreditando que há uma traição encoberta. Esse comportamento poderá magoar muito a outra pessoa, que irá se desanimar com o relacionamento. A pessoa desconfiada não quer sofrer ao descobrir uma traição ao mesmo tempo que quer descobrir. 

Impulsividade e intensidade emocional

A impulsividade de algumas pessoas é tão forte, especialmente em momentos de brigas, que falam coisas realmente dolorosas ao outro. Falar tudo o que está sentindo e pensando não é uma boa forma de lidar com os problemas dos outros, pois colocamos em evidência todos os nossos medos como se fossem fatos. 

Essa intensidade em lidar com as emoções e com o relacionamento faz o ruim parece terrível e o bom parecer maravilhoso. Desta forma, a pessoa vive entre ilusão e desilusão, não conseguindo alicerçar o relacionamento de forma estável e constante. Essas emoções intensas deixam o relacionamento instável e cansativo. 

Estou me boicotando e agora?

Sempre é indicado que a pessoa que está boicotando o seu relacionamento faça psicoterapia para entender os motivos mais profundos disso estar acontecendo. Somente assim, conseguirá criar estratégias para vencer os gatilhos que a desestabilizam.

Author:
Formada em Psicologia e Teologia, ajuda casais e famílias desde 2016 com Técnicas comprovadas cientificamente.