O que as crianças querem dos pais?

É sempre os pais que determinam o que as crianças “tem que querer”, não é? Elas estão sempre sujeitas as nossas escolhas. Para muitas situações isso faz sentido, já que elas não tem maturidade para tomar certas decisões e para suportar algumas consequências.

Porém, algumas necessidades só podemos perceber quando são anunciadas pela criança. Anunciadas a sua própria maneira: com brincadeiras, raiva, choro e teimosia. Em muitas vezes, as crianças não falam claramente o que precisam, mas dão sinais para que os pais percebam.

O que as crianças querem emocionalmente?

As crianças querem e precisam sentir segurança, especialmente por parte dos pais. Por isso, ensine sobre os perigos, sim, mas não esqueça de mostrar que você estará enfrentando tudo com elas. Elas precisam ter um refúgio, alguém em quem confiar quando o medo aparecer.

As crianças querem limites. Os limites são com as cercas que protegem elas dos perigos do outro lado. A pessoa que mostra o limite, é percebida como referencia, é alguém que sabe mais que ela e que poderá auxilia-la quando for necessário. Além disso, o limite revela a criança quem ela é e em qual fase da vida está.

Dar carinho e afeto aos filhos é preciso e, certamente, eles querem isso. Amar é diferente de mimar, quando você dá carinho não está colocando as vontade de seu filho acima da sua autoridade.

A criança quer a sua presença. Mas é estar junto totalmente, não é sentar na sala e ficar usando o celular enquanto o filho olha TV. É presença que vem com a atenção, com a brincadeira, com o afeto, com o olhar.

Como fazer isso?

No cotidiano fica difícil medir quais são as melhores atitudes, não tem receita nem um equilíbrio perfeito para educar as crianças. Porém, você, melhor que ninguém, conhece seus filhos e sabe dos temperamentos de cada um. Então, sabes bem de quais limites precisam e as suas necessidades.

Oriente seus filhos com amor, para que eles sintam que isso realmente é para o bem deles. Assim, confiarão mais em você. Se for necessário ser mais incisivo quando for dar uma bronca, tudo bem, mas não faça isso com raiva.

Converse com as crianças. Não fique apenas mandando isso e aquilo, é importante que elas compreendam os seus motivos para dizer não ou sim. Mesmo que elas não gostem da sua decisão, saberão com clareza que você fez isso  para o bem delas.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional