Como pensa alguém que se acha feio

Todas as pessoas já se sentiram feias em algum momento, mas algumas se sentem assim o tempo inteiro. Por isso, não acreditam em elogios, sentem vergonha de fazer amizades e iniciar relacionamentos amorosos. Se sentir feio é ter horror a espelhos e a fotos, se comparar o tempo inteiro com outras pessoas e se entristecer com isso.

Sim, a beleza importa e interfere na vida das pessoas. Quem se acha feio – por não ter o corpo que deseja ou por não agradar o círculo social – pode sentir um sofrimento intenso. Então, esse sofrimento interfere em todas as áreas da vida e muitos que sofrem não têm coragem de assumir essa dor, por medo de chacotas.

Se sentir feio pode causar sérios prejuízos ao longo da vida. Uma autoestima elevada, pode abrir portas, ao mesmo tempo que uma autoestima defectiva pode fechá-las. Por isso, ela é tão importante, que pode ser a causa de diversos problemas emocionais e de relacionamentos.

Como essa percepção surge

A aparência é tão comum para si, que sozinho é improvável ter a percepção de ser feio ou bonito. Geralmente, ela é construída a partir do olhar de outras pessoas, com o modo como as pessoas reagem e o que parecerem insinuar.

Ao interpretar essas reações, começa uma nova percepção da autoimagem. Com isso, elas influenciarão no quanto alguém se sente feio ou bonito. Ao compreender que as outras pessoas podem o ver como alguém feio, inicia um desajuste social.

Com isso, a pessoa que se sente feia, pode se afastar das pessoas próximas e ter dificuldades de iniciar novas relações – sejam afetivas ou profissionais. Pois, essa sensação não se limita apenas a aparência, pode se entender para outras áreas da vida quando se sente incapaz de realizar algumas atividades e não confia mais nas próprias virtudes.

Pensamentos diários

Padrões de pensamentos podem ser percebidos nas pessoas que se sentem inseguras ou infelizes com a aparência. Esses, podem ser intensos e invasivos, surgindo nos momentos mais importunos e prejudicando relações. Em alguns casos, podem anteceder transtornos psicológicos.

Quem se acha feio pode sentir necessidade de se esconder socialmente, especialmente a seu corpo. Pois, tentam chamar o mínimo de atenção possível. A autopunição pode ser comum. Algumas pessoas podem fazer dietas rigorosas e atividades físicas esgotantes como forma de punição por ser feio. Com esse pensamento, se machucam e não conseguem alcançar o resultado desejado.

Ver uma pessoa que considera bonita, pode ser sentido como sofrer uma agressão, pois isso faz lembrar-se de que é feio. Por isso, essa comparação impede que a pessoa construa bons relacionamentos no futuro, pois se sente inferior e duvida da boa vontade das pessoas.

A pessoa que se acha feia, tende a pensar que os outros têm pena dela, e que até as suas amizades são resultados disso. Pode não se sentir amada e desejada de fato. Devido a isso, não consegue confiar realmente em ninguém.

Quando as outras pessoas olham muito, pensa que fazem isso por achá-la estranha, nunca por admiração. Assim, não consegue reconhecer quando realmente são desejadas, acreditando que a aparência é uma barreira.

Pensando na beleza como algo fundamental, esse sentimento se estende para outras áreas da vida. Por isso, acreditam que a beleza é necessária para tudo e desvalorizam outras qualidades que tem além da beleza.

Resultados desses pensamentos

Algumas pessoas que se sentem feias, vivem tentando se tornar alguém que admiram. Entretanto, não é como copiar algumas características agradáveis, é mais como fingir ser outra pessoa completamente. Por que, ser ela mesma é sinônimo de sofrimento.

Algumas vezes, pode sentir um ódio real sobre seu corpo, entrando em dietas absurdas e atividades físicas exorbitantes que irão machucar fisicamente, como forma de punição. Com isso, cortes de cabelo, roupas específicas e tatuagens pode ser uma forma de atacar a aparência que lhe faz sofrer.

Compensar com outras qualidades como humor, inteligência e talentos é uma forma de lidar com a insatisfação física. Esta, possivelmente, é a maneira mais saudável de lidar com isso, até que uma elaboração por meio do autoconhecimento seja realizada.

Há quem desista de si mesmo, deixando de realizar tarefas básicas de autocuidado que seriam importantes para a sua aparência, como cuidar da alimentação ou fazer as sobrancelhas. Então, essa desistência vem em resposta à um cansaço emocional.

Opostamente, outras pessoas escolhem seguir cegamente padrões de beleza, realizando cirurgias e outros tratamentos estéticos que possam pagar. É a busca pela perfeição, que fica cada vez mais intensa.

Além desses comportamentos, patologias como depressão, fobia social e transtornos alimentares, podem ser resultados dessa crença. Porém, antes de cegar nesse ponto, é sempre importante que a pessoa busque por um profissional da área da Psicologia que possa colaborar com esse processo de auto aceitação e autoconhecimento.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional