5 tipos de casais: qual é o seu?

Você já sabe quais tipos de casais o seu relacionamento se encaixa mais? Saber isso é importante para perceber quais são os desafios e pontos fortes mais intensos da relação. Reconhecer os padrões é necessário para entender a dinâmica do casal e resolver conflitos.

Os casais têm histórias próprias e formas diferentes de se relacionarem. Porém, podemos perceber algumas dinâmicas que são padronizadas e repetidas por muitos casais. Veja aqui, em quais tipos de casais seu relacionamento se encaixa.

5 Tipos de casais

1 Casais indiferentes

Neste casal falta confiança e cumplicidade. Em suas discussões, é bastante comum que um assuma o papel de vitima e torne o outro culpado pelo conflito, as brigas nunca têm fim. Por causa disso, a críticas sempre estão presentes entre eles, causando frustrações e distanciamento. Com o tempo, este tipo de casal tende a perder a intimidade sexual devido ao desprezo e desrespeito que sentem um pelo outro. Não é por nada que esta tipo de casal é o que mais se divorcia.

2 Casais hostis

Esse tipo de casal é formado por duas pessoas imaturas e egocêntricas, que em meio aos conflitos não aceitam ver a perspectiva do outro. As suas discussões podem podem se tornar muito intensas, a ponto de provocar violência física. Eles vivem culpando um ao outro por suas frustrações, se criticam com frequência e o relacionamento se torna exaustivo. 

Quando estão discutindo é comum falarem a frase “você sempre” ou “você nunca”, por exemplo: “você sempre fala mal da minha família!” ou “você nunca me amou de verdade!”. Essas generalizações constroem rótulos que impedem que a empatia se desenvolva e negligencia o apoio mútuo. 

De forma impressionante, este é o tipo de casamento que mais dura! Afinal, eles vivem lutando para não perder o controle e vale tudo, menos sair do relacionamento. Mas não se engane, isso não significa que eles estão felizes. Um relacionamento assim exige um alto custo emocional! O casal precisa aprender a desenvolver empatia, respeitar as diferenças e amar o outro sem querer mudá-lo.

3 Casais validação

O foco deste casal é construir um relacionamento tranquilo, de compreensão e apoio mútuo. A maioria de suas discussões são calmas, pois eles focam em ouvir o outro. Porém, isso não significa que é um relacionamento perfeito. Este casal pode ser passivo demais, afinal a tranquilidade está acima dos desejos individuais.

Essa forma de se relacionar, da tranquilidade a qualquer custo, pode fazer um parceiro se anular para proteger o relacionamento. Assim, permanecem em uma zona de conforto que, ao longo do tempo, vai roubando toda a paixão que existe entre o casal. Esse casal precisa aprender que desacordos não são brigas e que se brigas acontecerem, está tudo bem.

4 Casais voláteis

Este tipo de casal costuma discutir com frequência. Porém, suas discussões são debates com respeito e algumas risadas, estão longe de serem brigas. Eles se sentem apaixonados e seguros no relacionamento, por isso se permitem ser honestos com o outro.

Se sentem muito conectados. Entretanto, essa conexão pode resultar na falta de limites e regras que estabelecem o lugar e comportamento esperado para cada um. Em consequência, o relacionamento pode se tornar confuso.

O desafio maior deste casal é não se render a vaidade e a necessidade de vencer as discussões para estar certo e ser o melhor. O casal precisa aumentar as demonstrações de empatia, medir as palavras para não causar mágoas e ter em mente que as discussões devem servir para o crescimento mútuo, não para ver quem tem razão.

5 Evitadores de conflitos

Este tipo de casal entende que são ligados por suas semelhanças como interesses e valores em comum. Por isso, acreditam que têm o relacionamento ideal e feliz. Porém, por valorizarem mais as semelhanças, esquecem de respeitar os interesses individuais. 

Assim, quando surgem conflitos, optam por fingir que está tudo bem sempre, se anulam e deixam de lado as coisas que realmente queriam. A dificuldade em se expressar também é comum nesta relação, preferindo um silêncio perigoso, Tudo isso, resulta em uma sensação de sufocamento ou de estar sobrecarregado.

Este casal precisa entender e aceitar que os conflitos são necessários e que a expressão dos interesses individuais vai melhorar a intimidade do casal.  Assim, eles devem dar espaço um ao outro, para serem quem são independente do relacionamento.

Author:
Teóloga e Psicóloga. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.