Por que sofremos quando o relacionamento termina?

Não é só emocional! Quando um relacionamento termina hormônios se alteram, eles produzem diversos efeitos no corpo e no humor. Então, o rompimento amoroso também nos afeta fisicamente.

Esse sofrimento é real e não deve ser olhado como uma fraqueza ou como frescura. A ligação que um casal tem não é apenas emocional, é psicológica e neurobiológica.

Ocitocina e Vasopressina

Esse hormônios têm praticamente a mesma função, porém o primeiro é mais presente em mulheres e o segundo é mais presente em homens. O neuroeconomista americano Paul Zak defende que esses hormônios funcionam como uma cola que une o casal.

10 anos de pesquisa demonstram que esses hormônios são grandes influenciadores no senso de fidelidade. Porque, Eles criam uma ligação moral e química, muito influenciada pela atividade sexual. Quanto mais um pessoa se une ao parceiro, fica menos propensa a se unir à outras pessoas. Por isso, quando você “cola” em alguém, fica menos propenso a se voltar para outras pessoas durante anos.

Quando acontece um rompimento, de fato, existe uma sensação de incompletude, afinal falta o outro hormônio que permitia a ligação dessa cola. Com isso, uma abstinência emocional se cria. Como a pessoa ainda não está propensa a se atrair por outras pessoas, a sensação de vazio permanece por um tempo.

Luto pelo relacionamento

Quando um relacionamento termina, as pessoas costumam sentir como se alguma coisa morresse. A relação morreu, os planos morreram, os hábitos cotidianos morreram. Então, existe um luto real.

Sensações físicas como falta de ar, dores no peito, alterações no apetite, no sono, no peso, e outras podem ser sentidas. Assim, interesse pelas coisas que acontecem no mundo externo diminui e a pessoa fica mais introspectiva.

Porém, o luto é natural e necessário. É ele que permite um reelaboração da própria vida. Com o luto, a pessoa poderá se reconstruir afetivamente sem aquele relacionamento.

Sensação ruins

A sensação de fracasso é muito comum quando se termina um relacionamento. É que costumamos planejar um futuro bom. Pois, quando mais um relacionamento permanece, mais planos são feitos. Por isso, o terminar é como fracassar, será preciso abandonar tudo.

Também pode aparecer o medo/ansiedade: “o que vou fazer agora?”. A pessoa constrói uma visão negativa do futuro e pode ver o/a ex como uma solução. Por isso, tentativas de retomar o relacionamento podem acontecer.

Dependendo da forma como o relacionamento termina, e também de como era constituído, a pessoa sai dele se sentido desvalorizada e abandonada. Por isso, tem interferências diretas na autoestima e na forma como irá lidar com o término.

Author:
Teóloga e Psicóloga. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.