Felicidade é hábito! Como ser feliz?

O que define a nossa felicidade não são ações ocasionais, mas nossos hábitos. Na saúde física,  é preciso comer bem e se exercitar com frequência para ter um corpo saudável. Com a saúde mental não é diferente, se uma pessoa convive em um ambiente estressante provavelmente será afetada por ele. Só que, ás vezes, não é possível mudar de ambiente, então a estratégia é alterar as pequenas coisas possíveis para tornar o dia-a-dia mais leve para conseguir sentir-se feliz.

Tudo é consequência

Algumas pessoas passam 5 ou 6 dias trabalhando, esperando para serem felizes no final de semana, outros esperam ser felizes depois da aposentadoria ou da promoção, tem aqueles que esperam o casamento e uns o divórcio, alguns que os filhos nasçam e outros que os filhos cresçam… O tempo inteiro as pessoas criam desculpas para não serem felizes ou acreditam que a que a felicidade é difícil de ser alcançada.

Na verdade, o ser humano foi feito para ser feliz, toda a nossa estrutura neural está preparada para vencer as adversidades, combater a tristeza e raiva. Utilizando o ambiente, a alimentação e nossos hábitos, neurotransmissores são liberados para promover prazer, bem-estar e segurança. O nosso humor é uma consequência da união de muito fatores.

O que me deixará mais feliz?

Veja ideias para deixar a sala perfeita para o homem - ZAP em Casa

A alimentação interfere diretamente no humor, seja pelos neurotransmissores que intensificam emoções ou pela interferência física que provocam até aparência que afeta a auto-estima. A depressão, por exemplo, tem uma ligação direta com a má alimentação. Excesso de gorduras e açucares, bem como a falta de nutrientes e vitaminas, afetam o humor. Muitos psicólogos indicam tratamentos nutricionais para acompanhar a psicoterapia e alguns estudos ja comprovaram a eficácia da boa alimentação no tratamento da depressão e de outros problemas que afetam o humor. Invista em alimentos naturais como legumes, frutas, chás…

Não deixe de preparar alimentos saborosos, além de saudáveis, o prazer imediato que o sabor do alimento provoca também é importante. É importante ficar claro que a alimentação, embora auxilie na manutenção da felicidade, não deve ser utilizada como uma forma de compensar o sofrimento, podendo gerar como consequência uma compulsão alimentar.

O ambiente também interfere na felicidade, seja casa, trabalho, academia e qualquer outro que frequente. As cores do ambiente e a decoração têm uma forte interferência, principalmente influenciando para a calma ou para o estresse/ansiedade. A (des)harmonia e o (des)equilíbrio do ambiente expressam traços daquele que o decorou – ambos se afetam.

Organizar um ambiente e mudar algumas coisas, ainda que simples, irá mudar algumas sensações que se tem ali. Por isso, olhe ao seu redor: está satisfeito com o que está vendo? Jogue fora o que não é mais útil, mude algumas coisas de lugar, compre isso ou aquilo, pinte uma parede, coloque ou tire um quadro, um vaso de flor. Não precisa ser difícil nem caro mudar o ambiente.

As pessoas que estão próximas tem a sua própria carga energética/emocional, quando duas ou mais pessoas se relacionam a energia é compartilhada. Mas o que é a energia? Quando uma pessoa está desanimada/triste ou satisfeita/feliz, logo se percebe e o nosso humor é afetado de acordo com a emoção que o outro transmitiu.

As conversas cotidianas são muito reveladoras sobre o perfil emocional da outra pessoa – mostram quando há ansiedade, inveja, desesperança, autoconfiança, positividade… Por isso, pense em cada uma das pessoas que você mais convive e tenta encontrar qual energia essa pessoa te transmite e como isso têm afetada a tua felicidade, pode ser hora de fazer mudanças nos relacionamentos.

Ter momentos de lazer cotidiano também é importante demais para manter a felicidade. Cotidianos mesmo! Todos os dias faça algo que te dê prazer, dedique uma ou duas horas para si, seja assistindo um filme, jogando, cuidando da corpo, passeando, lendo… São infinitas as possibilidades de sentir prazer e ter momentos de satisfação todos os dias. Não viva contando os dias, mas sentindo-os.

Tenha objetivos! Pequenas metas que levam a um sonho maior, assim a sensação de recompensa serão sentidos durante o caminho inteiro, a felicidade não será esperada somente no final. Sonhos e objetivos também são motivadores para ter esperança e suportar a dor.

Seja grato! A gratidão é extremamente importante. Aqui, se trata da gratidão enquanto modo de viver, todos os dias. Ser grato no dia da formatura ou quando ganha um presente são situações esporádicas. A gratidão realmente interfere na felicidade é aquela sentida quando vemos o céu azul, contemplamos uma flor na calçada, vemos a pessoa amada chegar em casa, ouvimos uma música que nos emociona…

São as pequenas coisas que trarão a verdadeira felicidade. São momentos assim que provocam em nosso cérebro uma explosão de neurotransmissores que nos curam e nos fortalecem física e emocionalmente.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional