Como traumas do passado afetam o relacionamento

Todos vivemos momentos na infância que causaram traumas reais ou simbólicos. Os traumas simbólicos são aquelas situações ruins que ainda não conseguimos superar, como a separação dos pais ou uma educação muito rígida, por exemplo.

Além dos traumas infantis, as pessoas trazem dores de relacionamentos anteriores para o atual relacionamento. Assim, constroem um ciclo de comportamentos que boicotam seus projetos de vida.

Na psicoterapia, é possível identificar as causas e aprender a lidar com esse passado, de uma forma que beneficie o relacionamento atual. Assim, o casal consegue reconstruir um padrão saudável de relacionamento. Veja a seguir, as consequência desses traumas não elaborados. 

Medos exagerados

A pessoa que viveu algo doloroso sente muito medo de viver isso novamente. Por isso, reage a qualquer coisa que considera uma ameaça.

O medo de reviver o trauma, impede que ela se entregue completamente ao relacionamento. Assim, o parceiro fica inseguro quanto ao futuro que eles podem ter juntos.

Muros emocionais

Uma forma de defesa é se fechar para aquilo que pode ser uma ameaça. Então, a pessoa se afasta emocionalmente do parceiro para não sentir os sentimentos que a machucam. 

Os parceiros de pessoas assim tendem a reclamar sobre a falta de diálogo ou de espontaneidade. Com o tempo, esse afastamento pode desconectar o casal e esfriar a relação. 

Explosões de raiva

Isso acontece que pessoas que tentam ignorar a dor. Elas vão guardando seus medos, mágoas e irritações até que explodem. Algumas, podem acreditar que estão sendo fortes ao ignorar. Porém, ignorar é fugir.

Para resolver, é preciso aceitar o sentimento e refletir sobre causas e formas de mudar. Na maioria das vezes, psicoterapia é a única solução.

Projeção

A projeção é uma forma inconsciente de lidar com o trauma. A pessoa projeta no outro, sentimentos e pensamentos que tem a respeito de si e da vida. 

Por exemplo: Uma mulher que tem baixa autoestima pode pensar que seu marido a acha gorda e não se sente atraído por ela. Na verdade, ele se sente atraído e gosta do corpo da mulher, é ela quem não se sente atraente.

Desta forma, traumas podem se mascarar e gerar brigas por motivos que não são reais. A projeção é uma grande responsável pelas interpretações erradas.

Comportamentos infantis

A pessoa que não elabora seus traumas, tende a se comportar de forma imatura quando uma ameaça aparece. Suas reações são semelhantes ao comportamento infantil, com birras, teimosia, raiva ou choro. 

Com isso, o casal não consegue construir um diálogo e as brigas se tornam cada vez mais frequentes. Porque, da mesma forma que as pessoas não resolvem seus traumas, também não resolvem os problemas do casamento.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional