Como se livrar da dependência emocional

A dependência emocional acontece quando se deposita expectativas em outra pessoa, que a colocam em um lugar de destaque. Assim, perder essa pessoa é como perder um propósito de vida.

Essa fixação vem devido a um vazio causado por uma necessidade emocional não suprida na infância. Por isso, a pessoa se sente incapaz de tomar decisões e reconhecer seu próprio valor.

Sinais de dependência emocional

A pessoa que é dependente emocional sente medo de ficar sozinha. Por isso, faz tudo que pode para manter a outra pessoa do seu lado, concordando com tudo e sendo o mais útil possível.

Quando o dependente emocional fica fixado nesta outra pessoa, acaba se afastando das outras que faziam parte da sua vida. Além disso, não têm interesse em construir outras amizades ou relacionamentos.

A sua exigência de atenção, junto com os ciúmes acabam por sufocar a outra pessoa, que se afasta cada vez mais.  O dependente emocional fica mais dependente e compensa esse afastamento sufocando ainda mais o parceiro.

Esse ciclo gera insegurança profunda, carência e pensamentos catastróficos. Com isso, o dependente fica cada vez mais ansioso, possessivo e controlador.

Para ele, todo afastamento levará ao término e toda possibilidade de término evidencia a sua incapacidade de ter planos pessoais que não envolvem a outra pessoa. Assim, não vê apenas a sua carência, mas seu futuro comprometido.

Como se livrar dela?

1. Saiba quem você é!

Antes de lidar com outra pessoa, é essencial ter autoconhecimento. Por isso, comece identificando suas qualidades e tudo de bom que você pode agregar a quem quer que seja.

Trabalhe sua autoestima com Psicoterapia. Sim! Pessoas que são dependentes emocionais precisam fazer terapia. Essa é a forma mais rápida e eficiente de acabar de vez com esse problema.

Ademais, é necessário reconhecer as próprias necessidades emocionais e aprender a lidar com elas. Desta forma, evitará que seu parceiro fique sobrecarregado com problemas que ele não pode (nem deve) resolver.

2. Alterando comportamentos

Estude, pense e estabeleça limites! Os limites claros são essenciais para manter um relacionamento saudável. Por isso, determine limites cotidianos para regrar a relação. Por exemplo:

Vou ligar para ele somente no final do dia

Vamos sair com amigos 1 vez por semana (ele com os amigos dele e você com teus amigos, não os dois juntos)

Vou passar pelo menos um período do dia sozinho

Esses limites citados acima são apenas exemplos, cada casal deve estabelecer os seus próprios. O mais importante é que eles sejam respeitados independente da forma como você estiver se sentindo.

Aceite que você não pode controlar tudo, mas pode controlar a si mesmo. Isso deve ser suficiente. O que você sente ou faz depende primordialmente de si mesmo. Trabalhar o autocontrole é essencial para vencer a dependência.

3. A distância faz bem

Programe tarefas diárias sem o seu parceiro. Assim, estará estimulando a sua individualidade, respeitando o espaço do seu parceiro e construindo um ambiente de novidades para o casal. 

O lado bom de se afastar um pouco é fazer novas amizades e conviver com outras pessoas. Desta forma, o seu mundo não vai se reduzir àquela pessoa e você não se sentirá só caso precise se afastar mais.

Author:
Teóloga e Psicóloga. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.