Como perdoar uma traição?

Perdoar uma traição parece uma missão impossível, mas não é. Diversas pessoas, simplesmente, não imaginam como podem fazer isso e terminam um relacionamento que era muito especial. Perdoar ou não é um escolha, se ainda não sabe o que decidir, comece lendo “Traição: perdoar ou ir embora?“. Mas, se você já decidiu que vai perdoar, continue aqui.

Alguns casais realmente querem superar uma infidelidade e continuar vivendo felizes, mas não conseguem perdoar porque não sabem o que é isso ou como fazer. O casamento não termina com a traição, o casamento termina quando o casal desiste. Vemos tantas noticias de separação, que podemos até esquecer que existe solução para aqueles que realmente querem permanecer.

O que significa perdoar?

Pode-se pensar que perdoar é um esquecimento da situação e da dor, fazer de conta que nada aconteceu e matar o assunto. Essa seria a fórmula perfeita para terminar de destruir o relacionamento. Tudo que o fica oculto, um dia virá a tona, de alguma forma. Toda mágoa reprimida, precisa de alívio para não adoecer.

Perdoar é parar de focar na dor que esta pessoa lhe causou e olhar para um futuro melhor ao lado dela. É uma chance de reconfigurar a relação, olhando para os problemas como pontos a serem melhorados.

Todo processo emocional, espiritual e cognitivo têm influencia nas ações. Por isso, o perdão irá influenciar na dinâmica do casal, modificando o modo como convivem. Se não houve mudança, é preciso verificar se o perdão realmente ocorreu e como está a saúde da relação.

Ao contrário do que muitos pensam e buscam, perdoar não é um sentimento, uma sensação. É uma decisão, um processo em ato, que exige esforço, vontade e persistência. O sentimento virá depois, quando as atitudes estiverem se internalizando.

Como é o processo de perdão?

Você não estará pronto para perdoar enquanto não tiver coragem de encarar de frente a situação. Ser traído é absurdamente doloroso, se permita sentir essa dor. Mesmo que o sofrimento seja doloroso, ele é necessário para a elaboração tudo o que aconteceu. Por isso, não finja que está bem se não estiver, mas faça o que puder para melhorar.

Por vezes, quem trai pode sentir grande vergonha ao ser descoberto e evitar tocar no assunto. A pessoa que foi traída pode demorar para querer ouvir o outro e entender melhor como tudo aconteceu. É importante que ambos estejam dispostos a falar sobre isso em algum momento. Não espere pelo momento perfeito, ele não virá, a conversa sempre será desconfortável, mas prefira encarar a realidade.

Já é clichê a frase de que a comunicação é o mais necessário para o sucesso de uma relação, não é diferente neste caso. Entender as motivações e as frustrações presentes na relação, é algo necessário para concertar as brechas e seguir com mais segurança no casamento. Se permita perguntar sobre tudo o que acredita que precisa saber, a nossa imaginação pode ser pior.

Perdoar também exige um esforço espiritual. Se você têm alguma crença que pode te auxiliar, é um momento bastante apropriado para exercitá-la. Se reconectar consigo, com o divino e com os valores que você preserva pode tornar esse peso mais leve e te mostrar outros meios de entender e lidar com o que aconteceu.

Por vezes, podemos culpar a nós mesmos por alguma falha na relação que tenha levado à traição. O auto perdão é muito importante para continuar no relacionamento. Em um casamento, nunca existe um só culpado pelo problema. Ambos construíram a relação assim e são responsáveis por tudo o que acontece nela.

Você realmente consegue?

Responsabilidade é diferente de culpa. A responsabilidade te dá a chance de aprender e mudar, enquanto a culpa apenas castiga. Para perdoar é preciso resistir a vontade de punir o outro, seja com ações ou palavras. Se você convive com a pessoa, mas tenta puni-la, não perdoou.

Tentar produzir no outro um sentimento de culpa, jogando na cara a traição sempre que tem chance, tornará a relação estressante e aumentará a dor. Se decidiu continuar e perdoar, a visão deve estar voltada para o futuro, não para o passado.

Algumas pessoas se tornam mais controladoras e ciumentas após a infidelidade. Isso é compreensível, mas nada saudável para a própria pessoa e para a relação. Alguns sentimentos podem não ir embora ao perdoar, se essa situação causar muito sofrimento é necessário buscar ajuda de um profissional – de preferência, psicólogo.

Se permitir confiar no outro novamente é preciso para seguir em um relacionamento saudável. Não existe felicidade sem paz, e ninguém consegue ficar em paz quando não confia nas pessoas ao seu redor. Controlar o outro, quando sai, quando chega, o que veste, quanto gasta, é uma forma de deixar bem claro a falta de confiança e de retornar ao passado. Cada vez que isso acontecer, ambos lembrarão da traição e o sofrimento reaparecerá.

Colocar seu foco nas coisas boas e no futuro que desejam construir é crucial. Por isso, planegem, conversem, definam sonhos e valores para que o caminho a seguir seja mais simples e tranquilo. Com certeza a traição doeu, mas perder a outra pessoa e tudo o que foi construído é ainda pior.

O casamento não será mais como era antes, mas isso não significa que será pior. É uma chance de reconstrução. A vida perde o sentido quando paramos de lutar pelas coisas que amamos e acreditamos. Mas precisamos fazer isso com os pés no chão.

O que você quer X O que pode ter

Para a relação seguir, não importa só a vontade de um, mas dos dois envolvidos. Por isso, é necessário entender quais são as expectativas e planos que a outra pessoa tem para seu futuro. Algumas pessoas escolhem se arrepender e mudar, enquanto algumas preferem continuar traindo.

Às vezes, mesmo com a intenção de perdoar e renovar a relação, a pessoa que traiu não se dispõe a isso. Não podemos obrigar ninguém a ser fiel ou mudar. Para seguir a diante, neste caso, é preciso se enxergar no futuro. Como o futuro será com esta pessoa me traindo? Como meu futuro será se eu estiver sozinho(a)?

Pode ser que nenhuma opção seja como quer, mas são as opções que existem. Idealizar um futuro improvável, que só você quer, não irá funcionar por muito tempo. A realidade bate a porta. Olhe para todas as áreas, como essa relação te afeta e te afetará, veja se vale a pena.

A maioria das coisas que escrevi aqui, são pontos que precisam ser cuidados pelos dois. Uma pessoa sozinha não dá conta de perdoar e recomeçar a relação. É preciso que o outro seja ativo na mudança e contribua para que haja confiança e paz dentro do lar.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional