A carência gera relacionamentos sufocantes

A carência é definida pelo dicionário como a falta de alguma coisa básica. Quando se trata de afeto e relacionamentos, pode-se pensar na necessidade de receber atenção, carinho, de ser notado e valorizado.

A Teoria do esquema, entende que essas necessidades emocionais devem ser supridas durante a infância pelos pais/cuidadores. Quando eles oferecem esses cuidados à criança, ela aprende a se auto cuidar. Por isso, se alguma necessidade emocional não for suprida, ainda depois de adulto, essa busca continua.

A pessoa que não consegue se valorizar e se amar, busca por alguém que faça isso por ela. É como se os afetos do outro servissem de alimento emocional. Por não saber lidar com isso, pessoas carentes tendem a criar uma grande confusão interna na hora de administrar o que recebem.

A carência sufoca, tanto quem é carente quanto quem se relaciona com essa pessoa. Por isso, é tão necessário conhecer a si mesmo e ter consciência dos próprios sentimentos antes de entrar qualquer relacionamento amoroso.

Como reconhecer a carência

A pessoa carente costuma criar altas expectavas para seus relacionamentos. É aquela que, antes de dar o primeiro beijo, já está escolhendo o nome dos filhos e imaginando um futuro feliz para sempre.

Porém, os pensamentos de perda e abandono também vão ficando mais presentes conforme a relação se constrói. Se essa pessoa lhe supre necessidades emocionais, ficar longe dela é ter essa falta novamente, por isso a pessoa carente se torna dependente e “grudenta”, exigindo sempre a presença do outro.

É comum atribuir ao parceiro a função de satisfazer suas expectativas idealizadas de relação perfeita. Entretanto, quando percebem que isso não vai acontecer, pensamentos generalizadores como “nenhum homem presta” ou “mulher é tudo igual” são recorrentes. Por que, de fato, ninguém conseguirá suprir e ser exatamente o que essa pessoa precisa/quer.

Quando o prejuízo chega

O medo de perder essa pessoa é um grande causador de ciúmes, pois a pessoa que sente carência também tem uma baixa auto estima. Desta forma, qualquer situação ou pessoa pode parecer sua rival, com potencial de roubar seu(a) amado(a). Para impedir que isso aconteça, a pessoa carente se torna mais controladora.

Essa situação não ocorre apenas com pessoas estranhas, mas também sentem ciúmes da família, do trabalho e dos hobbies do(a) companheiro(a). Por que, entendem que essas coisas estão lhe roubando o tempo e a atenção que deveria lhe ser dedicada.

A carência torna as pessoas mais vulneráveis e sensíveis. O desequilíbrio entre razão e emoção pode influenciar a pessoa a se anular para ser aceita e desejada pelo outro. Com isso, pode anular a própria identidade, especial seus gostos, para se encaixar na vida do outro.

O medo de ficar sozinho é bastante arriscado, capaz colocar essa pessoa em relacionamentos abusivos sem que ela se dê conta disso. Por desejar tanto ter alguém que a ame, se coloca em situações onde se desvaloriza para conquistar atenção e amor.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional