O Cristão Psicólogo: sobre a ética

Algumas pessoas sentem medo que psicólogos induzam pacientes a seguir a mesma fé que eles. É um medo real, isso pode acontecer se o profissional for antiético e incompetente. Mas não será problema se o profissional Cristão for bem esclarecido e ético.

É importante ressaltar que esse problema não ocorre somente com cristãos ou pessoas conservadoras. Qualquer pessoa de má índole poderá usar de manipulações para convencer o paciente a seguir suas crenças, sejam religiosas, morais ou políticas.

Já ouvi relatos de uma paciente celibatária que estava angustiada, pois a sua psicóloga queria convencê-la de ter relações sexuais com o namorado, desconsiderando as crenças e motivações da paciente. Também houveram casos que psicólogos induzem pacientes a ter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo, com a desculpa de “ter novas experiências”, mesmo que o paciente não quisesse.

Um cristão que obedece a Bíblia jamais utilizará de manipulação, isso é condenável. Segundo a Bíblia, quem serve ao deus Jeová deve fazer isso de forma racional, pela sua livre e espontânea vontade, não porque foi manipulado a isso. Para entender como um cristão psicólogo deve agir com seus pacientes, é importante entender o que ensina o cristianismo.

Qual é a finalidade da crença Cristã?

A finalidade da fé é a salvação espiritual, todas as demais coisas são consequências. Os milagres são consequências da fé, não a finalidade dela. Sendo assim, buscar uma religião apenas como uma fonte de cura é anti-bíblico.

Buscai, assim, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. (Mateus 6:33)

Jesus tem poder para curar leprosos, mas não curou todos os leprosos que encontrou, não ressuscitou todos os mortos, não curou todos os cegos. Ele fez milagres como sinais, para mostrar ás pessoas da sua época quem Ele é.  Então esse não é o objetivo da fé, por isso não é bíblico que um cristão psicólogo queira utilizar a sua fé para curar seus pacientes.

Paulo e Timóteo, discípulos, de Cristo, conviveram com doenças. O cristianismo não os curou. Eles entenderam que o papel do Evangelho é diferente do papel da ciência.

“Porventura os doentes não precisam de médico?” (Marcos 2:17)

A constituição do homem

A bíblia tem a específica missão de nos orientar a cuidar do espírito. Sendo assim, não nos cabe direcionar a Deus cuidados que devem ser buscados de forma humana. Essa não a finalidade do cristianismo, embora nos sejam apresentados alguns conselhos na Bíblia. Viver de forma moral é justa é uma obrigação do cristão. a Bíblia nos ensina a fazer isso, mas não promete cura além da Salvação.

“O papel da ciência não é prover o caminho da revelação com Deus, e o papel da da Bíblia não é prover condições de saúde física, alimentação, ou bem-estar psíquico.” (Pr. Paulo Gonçalvez, 2016.)

Por tanto, deixar de procurar atendimento psicológico quando se enfrenta problemas emocionais com a desculpa de que Deus está resolvendo nossos problemas, não é nada menos que negligência. É como um diabético comer muitos doces esperando que Deus o cure. O Cristão aprende que o corpo é o templo do Espírito Santo, por isso ter cuidados com a própria saúde é necessário.

Religião e ciência têm funções distintas

Sendo assim, um psicólogo que utiliza a sua religião como instrumento terapêutico acima de fontes cientificas, esta revelando que não entendeu o seu objetivo como profissional, tampouco como cristão. Um cristão que atribui todos os cuidados da sua vida ás Escrituras e crê que Deus tem obrigação de lhe presentear como os mais diversos milagres, está fugindo de suas responsabilidades enquanto sujeito autônomo e maduro.

Por tanto, é necessário entender que, embora sejamos um só, somos constituídos por Corpo e Espírito e cada um deles deve receber os devidos cuidados. Se houver negligência com qualquer um, a vida do homem será afetada integralmente. Pense nisso como as engrenagens de um relógio: todas devem estar bem cuidadas para que haja um movimento perfeito.

Profissional X Pessoal

Se houver uma compreensão de suas responsabilidades o profissional não irá misturar as suas questões pessoais com as profissionais. Essas questões devem ser separadas, a ciência deve ser praticada de forma neutra.

A fé deve ser exercida com total liberdade, e aquilo que diz da vida pessoal é apenas da vida pessoal. O que diz do profissional é a ciência e a ética.

Existem o Corpo de Psicólogos e psiquiatras Cristãos (CPPC), que trabalha com muita ética esses dois temas unidos. As ciências teológica, psicológica e psiquiátrica trabalham conjuntamente para auxiliar na saúde integral dos nossos pacientes! Um exemplo da união dessas áreas é a análise das estruturas cerebrais ao orar.

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional