psicoterapia

Victória Buske, psicoterapeuta clínica. Trabalha, sobretudo, com psicoterapia utilizando a Teoria Cognitiva-Comportamental (TCC) como base da análise e técnica. Entenda, de uma forma clara e cientifica, como isso funciona.

perguntas frequentes

A TCC é uma teoria baseada em dados empíricos, isso significa que todas as técnicas são validadas por pesquisas científicas. Assim, garante que os pacientes receberão tratamentos eficazes e pontuais. Essa base teórica prioriza o resultado, tem como foco entregar ao paciente resultados claros.

Por ser uma teoria que valoriza a ciência, novos estudos são realizados constantemente. Desta forma, o paciente recebe o tratamentos lapidados e seguros.

A TCC entende que as pessoas são completamente responsáveis pela forma como vivem, não sofrendo interferências ocultas de nenhuma natureza. Muitas pessoas perdem o controle de suas vidas por não conhecerem a si mesmas e não conhecer o poder que têm sobre a própria vida.

Antes de existir a TCC, existiam duas teorias: a Teoria Cognitiva e a Teoria Comportamental. Na Teoria Comportamental, entende-se que o comportamento humano é condicionado por fatores externos, quase como um adestramento. Ao longo do tempo se percebeu que as pessoas respondiam ao condicionamento de diferente formas.

O que provocava essa diferença? A cognição! Então, surgiu a Teoria Cognitiva, que explica que as pessoas pensam de formas diferentes, por isso respondem aos estímulos externos de forma diferente também.

Os psicólogos e pesquisadores da TCC entendem que, a forma como alguém pensa, define quais serão seus comportamentos, sentimentos e padrões. Então, se a forma de pensar for alterada, as pessoas que vivem em sofrimento emocional terão melhor qualidade de vida.

Pesquisas comprovam que a cognição (pensamento) pode ser monitorada e alterada. Desta forma, a mudança comportamental desejada pode ser alcançada. Entende-se que as circunstâncias influenciam escolhas, mas não determinam o comportamento nem os resultados.

Diferente do estereotipo do psicólogo que fica o tempo inteiro calado e ouvindo, a psicoterapeuta que segue a TCC é bastante ativa durante as sessões. As técnicas, percepções e estratégias são claramente comunicadas ao paciente, para que ele saiba o que está acontecendo.

Esse tratamento favorece a autonomia do paciente, que poderá decidir, junto com a psicoterapeuta, como será a psicoterapia. Assim, a confiança entre ambos é fortalecida, colaborando para que a psicoterapia seja mais eficiente.

Me perguntaram uma vez: Qual é a “mágica” que a psicoterapeuta faz para “entrar na cabeça” do paciente? Não existe mágica, tudo é ciência pura. Além disso, o objetivo da psicoterapia jamais será manipular o paciente.

O paciente ficará sabendo de tudo o que está acontecendo. Sendo assim, não existem objetivos ocultos. Os objetivos são definidos pelo paciente.

As técnicas da TCC se resumem (muito resumidamente) em trabalhar a auto consciência a partir do monitoramento de emoções e pensamentos automáticos (são pensamentos rápidos e involuntários, que as pessoas não percebem que estão presentes).

Quando o paciente passa a ter noção da forma como isso funciona, construímos juntos estratégias comportamentais e cognitivas para conquistar a mudança. Alguns “temas de casa” podem ser dados ao paciente, para que a terapia não se limite á clínica.

Periodicamente, terapeuta e paciente avaliarão juntos a terapia para ver se estão alcançando os resultados desejados. Assim, poderão decidir com mais precisão qual rumo a terapia deve tomar para ser cada vez mais eficiente.

A TCC apresenta excelentes resultados para Transtornos de humor, Ansiedade, TOC, Transtornos Alimentares, Transtornos de Personalidade, Depressão, Estresse Pós-Traumático, entre outros.

Além disso, trabalha autoestima, relacionamentos, habilidades cognitivas em geral e alguns sintomas físicos como insônia ou disfunções sexuais. Os sintomas físicos devem passar por avaliação médica antes do tratamento psicológico.

A psicoterapia com base na TCC tem um tempo estipulado para terminar. Esse tempo será definido de acordo com a intensidade, frequência e prejuízos que o paciente tem sofrido.

A colaboração do paciente é essencial para a terapia ser mais rápida. Quanto mais ele resistir, mais vai demorar. Além disso, o paciente precisa ser ativo nas mudanças combinadas, caso contrário não terá resultado.

O mais indicado é que você entre em contato com a Psicoterapeuta pelo Whatsapp (51) 98256 2390 ou e-mail contato@victoriabuske.com.br para tirar dúvidas, combinar horários e valores.

O contrato pode ser verbal ou escrito. Ele tem por objetivo proteger as duas partes de qualquer incidente. Nele consta, os valores das sessões, como será feito o pagamento, tempo de duração, sigilo e outros detalhes. O paciente não irá receber um contrato pronto, a psicoterapeuta constrói junto ele, para que exista equidade nas combinações.