Como ficam os filhos de pais que usam drogas ilícitas?

 Cada membro da família pode ser afetado de formas diferentes, então não há regras específicas de como filhos de pais que utilizam drogas ilícitas podem ser afetados, mas há alguns padrões que foram notados por pesquisadores. Neste artigo, exponho padrões comportamentais de filhos que cresceram em um ambiente com essas circunstâncias e explico a quais prejuízos esses filhos estão expostos.

Na maioria das famílias onde os pais são usuários de drogas, os filhos estão vivenciando violência doméstica – que pode acontecer com a mãe ou os os filhos -, agressões físicas, mortes e problemas judiciais. Por causa disso, eles crescem com uma percepção prejudicada sobre como funciona um relacionamento, principalmente o conjugal. Podem repetir comportamentos abusivos ou evitar a construção de vínculos que poderiam ser saudáveis. 

 O pouco relacionamento com os pais interfere na estimulação de habilidades no desenvolvimento infantil, provocando um prejuízo cognitivo, como baixo QI. O baixo QI é evidenciado por alguns sintomas como dificuldade de memorizar, demora para aprender a ler e escrever, baixa atenção e concentração, capacidade de imaginação rebaixada. Isso também pode ser consequência de uma causa neurológica, devido ao uso de drogas da mãe durante a gravidez, que afeta o desenvolvimento de cérebro do bebê.

Emocionalmente, apresentam carência afetiva e sentimento de vazio, geralmente correspondentes à falta de amor e atenção. Também expressam energia reduzida e risco alto de depressão. A depressão pode ser consequência da incapacidade de imaginar um futuro melhor, já que o exemplo de vida adulta que essas crianças têm é infeliz. O uso de drogas ilícitas pode prejudicar o vínculo entre pais e filhos, afastando-se e gerando sentimentos de insegurança e falta de amor.

Socialmente, relatam sensações de timidez e sentimentos de inferioridade, percebem-se desajustados socialmente e reprimem a agressividade de formas não saudáveis. Não é incomum encontrar nessas famílias casos de desnutrição e de inibição social. Isso pode acontecer pelo fato do filho perceber que a sua família é diferente das demais e que pode ter mais problemas, por ser algo mais velado, pode gerar sentimentos de vergonha em relação ao ambiente que vive.

Os padrões de comportamentos que podem ocorrer em famílias nas quais os pais são dependentes químicos podem gerar comportamentos agressivos e personalidade anti-social nos filhos. Ainda assim, é importante lembrar de que não existem pais perfeitos, nem um molde de como a criação de crianças e adolescentes deve ser.

A forma adequada de educar uma criança depende de muitos fatores, como cultura, personalidades envolvidas, situação econômica e o que mais transpassar o ambiente familiar. É importante que cada família tente compreender como funcionam os relacionamentos dentro de si mesmas, sem se comparar com as demais famílias. 

Author:
Teóloga e estudante de psicologia. Com experiência em dependência química, transtornos alimentares e relacionamentos conjugais e familiares.

Contact Us

Remarcações podem ocorrer até 3 hora(s) antes sem custo adicional